Melhores estreias de séries em 2016

Oi meus caros Amefurianos! Hoje eu, Gabriel, venho trazer para vocês indicações das 10 melhores estreias de séries que vi no ano que passou. Tivemos um ano grandioso para os amantes de todo mundo, com gratas surpresas e outras que esperavam-se muito e conseguirem ser melhor do que o aguardado. Lembrando que isso não é um formato de ranking, pois cada um tem sua opinião da melhor. Então vamos as séries e que 2017 seja um ano tão bom quanto foi 2016 nesse quesito!

Stranger Things

“A série decorre no ano de 1983, na fictícia cidade de Hawkins, Indiana, onde um garoto de 12 anos desapareceu misteriosamente sem deixar rastros. Enquanto a polícia local, a família e os amigos do mesmo procuram por respostas, acabam se envolvendo em um extraordinário mistério envolvendo uma experiência secreta do governo, forças sobrenaturais e uma garotinha muito misteriosa.”

A série mais vista de 2016, feita pela Netflix teve um alcance global. Nas redes sociais só se falava da Eleven e com razão. A série trouxe o que a de melhor na década de 80, com diversas referências acabou virando um fenômeno.

 

American Crime Story: The People v. O. J. Simpson

“O julgamento de O.J. Simpson. Ex-jogador de Futebol Americano, Orenthal James foi acusado em 1994 de assassinar a esposa, Nicole Brown, e o amigo Ronald Goldman. Contado através da perspectiva dos advogados que conduziram o caso, a série explorara os acordos feitos de maneira informal e as manobras políticas conduzidas por ambos os lados envolvidos.”

A série do mesmo criador de American Horror Story, consegue retratar de maneira memorável um dos julgamentos mais emblemáticos da história. Do olhar dos advogados, vemos todas as reviravoltas desse caso e como a justiça pode ter varias faces. Além de levantar questões como violência domesticas e a questão racial.

 

Luke Cage

“Depois que um experimento sabotado ter deixado Luke Cage com uma super-força e pele indestrutível, ele se torna um fugitivo que tenta reconstruir a vida no Harlem, bairro de Nova York. Mas logo ele é forçado a sair das sombras e lutar pela sua cidade, bem como confrontar o passado do qual tentou fugir e assumir a identidade de herói.”

Luke cage tenta ser um tipo diferente de série de herói, e realmente consegue se afastar do modelo batido atualmente desse estilo. Tem um ótimo vilão que acaba por trazer reviravoltas ótimas para a série, além de aumentar o universo Marvel que acaba se consolidando para os defensores.

 

This is us

“A série é uma crônica da relação de um grupo de pessoas que nasceram no mesmo dia, incluindo Rebecca (Mandy Moore), Jack (Milo Ventimiglia), um casal esperando trigêmeos em Pittsburgh e Kevin (Justin Hartley), um belo ator de televisão que está se cansando da vida de solteirão cobiçado.”

Uma série pra ser sentida, no qual trata com brilhantismo as relações familiares.

 

The AO

“Prairie Johnson é uma garotinha cega que desaparece. Sete anos depois, ela retorna, com a visão perfeita. A jovem (Brit Marling) tenta explicar aos pais o que aconteceu durante a sua ausência. Para a surpresa de todos, ela diz que nunca realmente se foi, mas estava em outro plano da existência…Num lugar invisível.”

A série mistura muito bem ficção cientifica com suspense para dar um ar grandioso a obra. Vale a pena assistir!

 

The Night Of

“Após ter passado a noite com uma mulher desconhecida, um homem acorda e a encontra esfaqueada até a morte e é acusado de tê-la assassinado. A investigação policial denuncia as complexas relações entre os casos analisados pela polícia de Nova York, procedimentos legais, sistema criminal e o “feroz purgatório” de Rikers Island, onde os acusados são mantidos enquanto esperam pelo julgamento.”

Amei The Night Of! Uma série que te faz pensar o que a justiça significa e suas implicações. Diria que parece com American Crime Story mas, cada uma com suas diferenças. O final é impressionante e revela toda a coragem do autor em fazer essa obra.

 

The Shannara Chronicles

“Um misto de mágica com tecnologia primitiva em um reino de fantasia. A história ocorre milhares de anos após a destruição da atual civilização, e é centrada na família Shannara, cujos descendentes possuem magia e protagonizam aventuras com o poder de remodelar o futuro do universo.”

Para quem gosta de uma boa fantasia essa série é altamente indicada. Exibe a mitologia de elfos de uma forma original, tentando mostrar um futuro onde os humanos deixaram de existir e com uma ameaça aparente, as raças tem que se unir para derrotar o mal.

 

The Crown

“Filha do rei George VI (Jared Harris), Elizabeth II (Claire Foy) sempre soube que não teria uma vida comum. Após a morte do seu pai em 1952, ela dá seus primeiros passos em direção ao trono inglês, a começar pelas audiências semanais com os primeiro-ministros ingleses. Ela assume a coroa com apenas 25 anos de idade, mas com grandes compromissos, vêm grandes responsabilidades.”

Não a toa que se tornou a série mais cara da Netflix! Muito bem feita, trata com fidelidade a monarquia inglesa. Com atuações primorosas, o drama se eleva a outro patamar e consolida a empresa como a grande criadora de séries da atualidade.

 

3%

“3 por cento, ou 3%, é uma série brasileira de ficção científica que se passa em um mundo no qual todas as pessoas, ao completarem 20 anos, podem se inscrever para um processo seletivo que os levará a um “novo mundo”, cheio de oportunidades e promessas de uma vida melhor. Apenas 3% das pessoas são aprovadas para ingressarem nessa área, mas, até lá, um processo bastante cruel é imposto aos candidatos.

A série brasileira feita pela Netflix conseguiu repercussão internacional e merecida, no qual tenta mostrar um futuro distópico e diferente do normal, trazendo ideias originais a algo já consolidado no mercado.

 

Westworld

“Westworld é um parque temático futurístico para adultos, dedicado à diversão dos ricos. Um espaço que reproduz o Velho Oeste, povoado por andróides – os anfitriões –, programados pelo diretor executivo do parque, o Dr. Robert Ford (Anthony Hopkins), para acreditarem que são humanos e vivem no mundo real. Lá, os clientes – ou novatos – podem fazer o que quiserem, sem obedecer a regras ou leis. No entanto, quando uma atualização no sistema das máquinas dá errado, os seus comportamentos começam a sugerir uma nova ameaça, à medida que a consciência artificial dá origem à “evolução do pecado”. Entre os residentes do parque, está Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood), programada para ser a típica garota da fazenda, que está prestes a descobrir que toda a sua existência não passa de bem arquitetada mentira.”

Para mim foi a melhor série de 2016! Com um drama primoroso aliado a um suspense ótimo, me fez pular da cadeira a cada episódio. Quem ama tecnologia não pode deixar de ver. Criaram-se várias teorias na internet sobre, umas acertaram, outras nem tanto, mas fechou sua primeira temporada de maneira perfeita.

Espero que tenham gostado!

E não se esqueça de compartilhar!

Gabriel

A pessoa mais eclética que você vai conhecer.